quinta-feira, março, 2016

Descobrindo seu próprio estilo

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas
Loading...Loading...
FavoriteLoadingFavoritar este Post
Categoria:

Tags:, ,

Para quem está começando, descobrir o próprio estilo de desenho, de arte, pode ser um desafio muito grande. Aqui falaremos um pouco sobre como entender melhor o seu estilo é diferente de entender tendências e se isso é realmente necessário para a criatividade de um designer. Normalmente, ouve-se que ter um estilo bem forte nos trabalhos é algo bom para um designer. Um visual assinatura, reconhecido a distância só pode ser algo bom, certo?

Alguns designers se frustram muito ao não conseguir encontrar um estilo próprio e além disso, sentem uma pressão daqueles que já tem seu traço bem definito e anos de experiência. O que é preciso lembrar é seu estilo não vai surgir ou ser definido da noite para o dia. Normalmente, é algo que evolui conforme você evolui. Provavelmente outras pessoas vão reconhecer seu traço característico antes mesmo que você. É algo natural. Estilo se desenvolve em meses (ou até anos) de prática.

Estilo

Por outro lado, não ter uma marca característica não é algo necessariamente ruim. Se você é um diretor de arte de uma agência, por exemplo, saber como lidar com diferentes tipos de arte, e resolver diversos problemas visuais para diversas marcas com identidades diferentes é algo primordial e que requer uma flexibilidade do próprio estilo. Muitas vezes, o que é o melhor para o cliente não é necessariamente o melhor para a sua perspectiva de olhar ou gosto pessoal.

A busca pelo estilo próprio tem muito a ver com nosso auto-conhecimento e o quão confortável estamos com o que estamos criando. Listamos algumas dicas que podem servir como norte para quem está nessa busca:

1 – Ter seu próprio estilo pode ser uma bênção e uma maldição. Aprenda a lidar com os dois cenários e usar seu próprio traço a seu favor.

2 – Raramente é você quem define o estilo que o seu trabalho transmite ao público. Outras pessoas enxergarão as características marcantes em sua arte antes que você.

3 – Não se comprometa totalmente com um estilo a não ser que você esteja totalmente confortável com ele. Especialmente no início, tente diversas direções e tendências. Continue tentando ao longo de sua carreira, mesmo com sua personalidade artística já bem definida.

4 – Se você perceber que seu trabalho está ficando monótono e dificultando o seu desenvolvimento criativo, não tenha medo de mudar seu estilo – mesmo que radicalmente.

5 – Não tente esconder seu estilo porque “não está na moda”. Coco Chanel já disse, “A moda é passageira, o estilo é para sempre.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Qual é a MINHA WACOM?

Pensando nas dúvidas e dificuldades de encontrar a Wacom ideal para as suas necessidades, criamos uma…

Leia mais >