Na Mídia

Animação: Um Oscar para a tecnologia

A tecnologia proporcionou a união de grandes roteiros e filmes às artes visuais e gráficas, e assim revolucionou o cinema por meio do nascimento do mercado de animação. Com a inovação e evolução das ferramentas de criação digital, grandes longas-metragens consagraram artistas, designers gráficos, ilustradores e diretores de arte, entre outros, a começar pelo vencedor do Oscar no primeiro ano da categoria de melhor filme de animação (2001); produzido pela DreamWorks, o filme “Shrek” inspirou milhares de jovens a mergulhar no mágico mundo dos desenhos animados.

O papel da Wacom, líder mundial no mercado de mesas digitalizadoras, displays interativos e canetas digitais, foi preponderante para a evolução do segmento, principalmente por ajudar a “dar asas” à imaginação no processo criativo por meio da tecnologia intuitiva. Dos 15 vencedores do prêmio de animação do Oscar, todos foram produzidos em laboratórios equipados com a tecnologia da marca japonesa.

No Brasil, instituições de ensino como a Escola Panamericana de Arte e Design, já enxergando este movimento global em prol da criatividade, buscam preparar seus alunos e futuros animadores com equipamentos e experiência tecnológica de ponta. Hoje, são 16 Cintiq’s (displays interativos da Wacom) que compõem os laboratórios criativos da organização e são peças fundamentais no ensino técnico e desenvolvimento criativo no curso Design de Animação e Games.

As linhas de produtos profissionais da Wacom como Cintiq e Intuos permitem a experiência intuitiva de desenhar com uma caneta, seja diretamente no display ou em uma mesa digitalizadora. A película EMR (patente da companhia japonesa) dá ao equipamento uma sensibilidade à pressão que contribui para a precisão do traço. Além disso, a possibilidade de experimentar, testar e ainda corrigir os erros de forma mais rápida e sem a necessidade de refazer todo o trabalho, também deu mais agilidade ao mundo da animação.

Voltar
Ver todos