quarta-feira, maio, 2016

7 erros comuns que designers cometem

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas
Loading...Loading...
FavoriteLoadingFavoritar este Post
Categoria:

Tags:, ,

Ninguém gosta de admitir um erro, mas ao longo de nossas vidas, cometemos muitos deles – e isso faz parte do nosso amadurecimento e aprendizado profissional. Conforme vamos crescendo e trabalhando, aprendemos algumas coisas que não devemos fazer sob hipótese alguma e outras que é aconselhável evitar.

 Listamos alguns dos erros comuns que alguns designers cometem. Todos nós já os cometemos, mas aprendemos com eles! :)

1 – Não entender o briefing

Sem uma ideia clara do que o cliente quer, você pode complicar as coisas para si mesmo, perder muito tempo em uma ideia inadequada e cometer erros que seriam evitados com uma conversa. Leia e entenda o briefing com cuidado. Tome notas, faça um brainstorm junto do cliente para confirmar que suas ideias estão seguindo a direção desejada.

2 – Usar tipografia “pirata”

Existem diversos sites para downloads gratuitos de fontes, mas fique de olho na questão legal do uso de certas famílias tipográficas, que pode invalidar todo o projeto – fazendo você recomeçar do zero. Se você está trabalhando profissionalmente, não hesite em investir em algumas fontes. O budget ficará um pouco maior, mas o resultado compensará e você não terá dores de cabeça mais tarde.

3 – Usar muitas imagens de bancos especializados

Bancos de imagens podem ser a salvação de um designer, principalmente se você não pode pagar um fotógrafo profissional. No entanto, algumas imagens dos bancos são “queridinhas” dos profissionais de criação e você corre o risco de usar a mesma foto que o seu concorrente, por exemplo. Evite usar imagens stocks como o foco central do seu trabalho – se você achou a foto muito boa, provavelmente outros designers também acharam.

4 – Salvar os arquivos incorretamente

Saber como salvar suas peças corretamente pode ser vital para o trabalho. Existem muitas coisas a serem consideradas, dependendo da aplicação do projeto. Peças para impressão normalmente pedem CMYK e 300 dpi, e peças para online podem ser RGB e a resolução depende da aplicação e da necessidade da plataforma (mobile, desktop, etc). Lembre-se de considerar as áreas de segurança, corte e a chamada “sangria”. Antes de enviar para a impressão, pense nos formatos, cores e fontes usadas – esses fatores podem ter um resultado diferente quando impressos.

5- Não subestime a revisão

Usar o corretor automático pode ser uma alternativa rápida para palavras com erros ortográficos, mas não irá detectar erros de concordância ou palavras a mais (a menos) ou sem sentido no meio de uma frase.

6 – Trabalhar destrutivamente

“working destructively” ou “trabalhar destrutivamente” é quando você faz alterações na sua peça permanentemente, excluindo a possibilidade de re-editar posteriormente. Para evitar essa situação, use máscaras e layers ao invés de aplicar a alteração na peça base do projeto. Ah, e sempre nomeie seus layers!

7 – Não considerar o contexto

Quer você esteja criando um ícone, um logo ou qualquer outro elemento, atualmente, é preciso pensar na transposição desta peça para diversos meios, analógicos e digitais. Então certifique-se que as cores, o tamanho e o design como um todo possa ser aplicado tanto em materiais impressos, placas, camisetas e todos os tipos de telas (computador, celulares, etc).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Qual é a MINHA WACOM?

Pensando nas dúvidas e dificuldades de encontrar a Wacom ideal para as suas necessidades, criamos uma…

Leia mais >